Conduta do Amor

12654299_1304334286248699_7881948339577606980_nNão creio em um Deus atormentado pela adoração cega e interesseira dos homens. Não temo o diabo cortejado pela culpa e o medo, que se estabelecem nas consciências dos seres humanos que se têm indiferentes ao labor da alegria e satisfação, uns dos outros.

Apenas me faço eflúvio das ordens do divino e do sagrado, nos seres que querem se reacordar por si próprios, em algo a mais do que se prendem a menos. Portanto, não sou detentor da lei, apenas o eflúvio que a lei utiliza para influenciar as mentes, consciências e egos, dos seres que se fazem famintos em preponderar-se sobre a verdade que aqui nesta terra conheceis por amor!

Atento a favor desta lei que é sublime e pura, que reordena as vicissitudes das humanas criaturas, ainda presas no caos infernal de suas carências mais intimas. As forças divinas da lei, que equilibram e harmonizam o vivenciar externo e o viver unitário, em paz consigo mesmo. Não obstante é ela e apenas ela, que graduará o meu energismo e postura de ação em efetuar em suas vidas vividas diariamente.

Sendo assim, verificamos em parte dos seres humanos, que sobre a vida de alguns sou correlacionado a um tirano, já sobre outros serei temido como um juiz implacável, ou um amigo conveniente e barganheiro, ou simplesmente apenas um servidor de suas consciências e do que os mesmos se fazem em coligar com o Deus imaginário ou o demônio nutrido. Isso ante o dualismo que impera em sua intimidade e nas expressões proferidas ao externo sobre o que eles, concebem como elixir ou tônico de fé e crença, em ser algo lá fora ou nos âmagos dos mesmos a se fazer valido em idolatrar e adorar como divino e sagrado.

Fica claro que agimos e interagimos pela lei mor de sintonia intima que está a labutar nos cidadãos. E que cada um tem as companhias espirituais não só que merecem, como também, com as mesmas carências, apegos, vícios e atitudes semelhantes mutuamente.

A lei do amor não corrompe, ela é pacienciosa, permite que semelhantes unidos curem suas dores por si mesmos, tendo como referência a conduta um do outro, independente dos planos que se encontram, se é espiritual ou físico.

O homem criou uma forma insana de sufocar a sua expressão nata de divinização em um só ponto, que ele acha de modo infeliz e não menos inconsequente, como divino e sagrado a ser seguido; que pela postura em conduta humana se divide em três palavras, egoísmo, orgulho e vaidade. Eis um erro horrendo da fé cega pela carência e da crença submissa pelos apegos doentios.

Meus camaradas, o ponto de maior luz desta terra, nasce e se emana dos seres que nela sobrevivem, é a eles, assim como o planeta terra que se deve adorar, sobretudo e todas as coisas, que o abstrato formata em seus pensamentos, sentimentos e emoções, como também, pelos seus atos exteriorizados, que ocasionam o motivo das coisas em sua existência sã ou insana, que proverá o efeito não mais de adorar, porém sim, de amar pela fonte pura da lei do amor que a tudo coliga e iguala, em um Deus, que no todo se faz em suas vidas, sempre de uma forma nem boa nem má, mas sim, em uma essência justa e simbiótica com o seu intimo estado de CONDUTA desperta da mesma lei, que é amar pelas vias educativas do amor.

Exu Sete Chaves – Kanon. Psicografia: médium Edson Rosa.